quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Tubo de escape no automóvel

Não, o artigo não está errado. É mesmo no.

As pessoas, principalmente os homens, diga-se em abono da verdade, sempre tiveram uma certa tendência para transferir as suas frustrações e outros estados de espírito negativos para a condução. Mas parece-me que ultimamente as coisas pioraram, ao ponto de eu já não me sentir segura a buzinar a alguém com condução incorrecta e perigosa, porque acabo por sentir que fui eu que prevariquei, dado os manguitos e outros que tais, as buzinadelas de ricochete mais sonoras e as expressões ameaçadores nos rostos como que a dizer: Olha que eu fodo-te os cornos! Desculpem o vernáculo, mas os ares que me fazem aqui e ali são mesmo consentâneos com este linguajar.

Acho isto extremamente preocupante. É sinal de uma sociedade perfeitamente desequilibrada e sem noção do que é certo e errado. Quando se perdem estes valores, tudo estará perdido.

Eu não me sinto segura na estrada e acho que vou tentar adoptar a técnica de ficar encolhidinha no meu assento sempre que vir alguém fazer um disparate brutal, não vá o simples facto de eu respirar do mesmo ar poder servir, só por si, de motivo de afronta.
.

Sem comentários: