segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Tenho constatado recentemente que algumas actividades que me davam imenso prazer num passado não tão longínquo assim, agora não dão mais. Mais do que um sinal dos tempos, isto deve ser mesmo sinal de que a idade conta... e muito.

Eu papava tudo o que era concurso de novos talentos musicais. E agora incomodam-me. Talvez não todos, porque aqueles programas conduzidos em estúdio em que houve uma pré-selecção bastante cuidadosa, ainda me vão conseguindo cativar, se bem que não me façam deixar de fazer programas fora de casa à sua hora, com antigamente acontecia.

Os que me incomodam mesmo neste momento são aqueles em que aparece gente que não canta de todo, mas que até acha que canta, e gente que cantando alguma coisa, acaba por não saber muito bem se se quer colar ao original ou se quer criar uma versão própria. E o pior é que a coisa não resulta nem de uma forma nem de outra porque soa a esforço sobre-humano, titubeante e a desafinanço constante.

Como em tudo na vida, ou se tem personalidade musical ou não se tem, e apesar de haver por aí muito moçoilo e moçoila com projecção que não a tem, acho que este mercado já está um pouco saturado de vozes que não trazem qualquer valor acrescentado.

Mas tudo bem, os concursos de talentos acabam por ser uma forma de divulgar verdadeiros novos talentos e não se pode impedir que por lá passem outros não tão grande talentos cheios de vontade que se lhes reconheça (finalmente, no caso de alguns) o talento escondido...
.

Sem comentários: