segunda-feira, 19 de abril de 2010

Quando o segundo beijinho não acontece...

... é um bocado chato. E eu que já me tinha esquecido que os tios e as tias só dão um. Ainda há os mais ou menos simpáticos que em ar de Coitadinha da rústica, deixa lá dar-lhe a outra face, não vá já ela cortar os pulsos a seguir! acabam por dar o segundo, ainda que visivelmente contrafeitos, mas depois há os 100 % tios que nunca desfazem a pose e que fazem imeeennnnsa questão de nos deixar dependurados no vazio e a sentir que somos mesmo uns tremendos pobretanas sem modos.

Nada como ter pedigree, de facto, para se ser extremamente indelicado e até candidato a espécime acéfalo rastejante!
.

Malapata com Roma

Duas viagens marcadas para um período de cerca de 20 dias e nenhuma se realiza.

A primeira devido ao perito que não foi.

A segunda por causa da cinza vulcânica.

Há já uma terceira (primeira) marcada para Setembro e I wonder what else will come...
.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Frase irritante do momento

Carrega Benfica!

É que não se aguenta mesmo.

Talvez esteja aqui iniciada uma nova rubrica neste estaminé. Que esta seja mesmo a valer e não morra à nascença como as outras (ou a outra) que iniciei. A verdade é que pensamentos novos no início de cada semana nem sempre ocorrem. Frases irritantes da moda já me parece algo mais passível de manter vivo e de boa saúde e assim sempre vou destilando o veneno, leia-se as ditas.

domingo, 11 de abril de 2010

Vivendo... e aprendendo!!!

Técnicas desenvolvidas por outros (pensadores!) e que podemos passar a utilizar. Falo de quando um amigo nos liga do seu telemóvel para o nosso telemóvel. Por uma razão qualquer, não atendemos. Ou porque não ouvimos ou porque já chegámos tarde para poder atender. Então o que fazer de seguida? Ligamos à pessoa mas deixamos tocar só uma vez para sinalizarmos que já estamos disponíveis. Afinal de contas, se não fomos nós que ligámos, porquê ligar de volta e esperar que o outro atenda? Injustiça tremenda... a iniciativa nem foi nossa, porque é que havemos de gastar uns cêntimos em telemóvel por causa de alguém que manifesta interesse em falar connosco?

Pronto... são cenas destas que me conseguem deixar verdadeiramente irritada e surpreendida (ainda me surpreendo, sim!). E para que não haja dúvidas, falei na primeira pessoa mas eu fui o tal amigo que aprendeu a técnica nova à força e ainda tive de ouvir a explicação aparentemente lógica ante a minha estupefação perante o sucedido.

Fica a garantia de que vou começar a utilizar esta técnica com a pessoa em questão. Há que provar do nosso próprio veneno, ou não?

segunda-feira, 5 de abril de 2010

A futilidade tomou conta do mundo?

Eu diria que sim.

Será que estamos num beco sem saída quando as conversas à hora do lanche nos enfadam a ponto de nos fazer não mais querer lanchar (pelo menos àquela hora com aquela pessoa)?

E quando mudamos para o ambiente de ginásio, as conversas, em vez de nos enfadarem, nos enojam?

Ora bem... sinto-me um bocado enclausurada, de facto.

O problema não é propriamente dos sítios, eu sei. Mas será que havia necessidade de atrair tanto "lixo"?

Se a futilidade não tomou conta do mundo, algo tomou conta de mim...
.

sábado, 3 de abril de 2010

Very International

Este blogue. Tem mais visitantes estrangeiros do que locais. E ainda não percebi porquê... Aliás, com a acalmia que por aqui tem andado, por esta altura nem sei como ainda tem visitas.

Fica o hino do momento para nos fazer pensar sobre a rebelião e suas vantagens. Eu sou uma rebelde. Só (ainda) não escrevo hinos.


.