segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Probabilidade = 0

A propósito da Gripe A, transmitiu hoje a SIC o programa Grande Reportagem com os bastidores do apoio e diagnósico da doença à população portuguesa (entenda-se "Saúde 24" e centros de saúde/hospitais).

A lamentável situação ocorre num gabinete de consulta médica de um centro de saúde da grande Lisboa, com uma doente a envergar máscara, sentada numa marquesa e rodeada de duas ou três profissionais de saúde (julgo, enfermeiras). Nos hospitais tugas trata-se logo de pôr os doentes à vontade tratando-os por "tu". Juro que se me fizessem o mesmo, devolvia na mesma moeda (mas isto sou eu que tenho um mau feitio daqueles...) para ver se gostavam da receita.

Diz-se duas ou três vezes à doente que tem de ser encaminhada para um serviço especializado e que lá vão fazer-lhe uma zaragatoa. O nome da intervenção já é suficientemente assustador proferido uma única vez, imagine-se repetido duas ou três... A doente, com ar visivelmente combalido e expressão desconfiada (para não dizer "aterrorizada") tem a coragem de perguntar: O que é uma zaragatoa? A enfermeira, com tranquilidade, tem ainda mais coragem de lhe responder que é uma análise que lhe vão fazer, que não é dolorosa, para analisar o exsudado. De facto, a expressão idiomática Um male nunca vem só, cumpre os seus desígnios de vez em quando.

Pergunto eu: Qual a probabilidade de uma pessoa que não sabe o que significa a palavra zaragatoa saber o que significa exsudado? A resposta está no título.

Conselho de profissional de saúde a quem for alvo da mesma questão por parte de um leigo: É um exame que consiste em retirar um bocadinho das secreções acumuladas na garganta com uma espécie de um cotonete.

Tenho dito.
.

1 comentário:

Brown-eyed Girl disse...

Essa por acaso sabia. Mas mesmo só por acaso. Uma das coisas que mais me irrita, tanto em médicos como advogados, é a forma como apenas parecem saber falar utilizando a terminologia da sua profissão. Dá-me logo vontade de lhes dizer como o Denzel Washington no "Philadelphia": "explique-me lá isso como se eu tivesse 4 anos!"