quarta-feira, 2 de abril de 2008

Para início de conversa...

... e de escrita no blogue, há que dizer que às vezes, por mais rodeados que estejamos, não conseguimos encontrar os ouvidos certos para a mensagem que queremos passar. "Mensagem" é capaz de ser um termo forte e pomposo porque implica que contenha informação estruturada e com um objectivo definido. No meu caso, não tem de ser o caso - passe o pleonasmo. Afinal de contas, acho que nem é o meu nem é o de muitos que não se contentam apenas com aquilo que é imediatamente perceptível aos 5 sentidos. Talvez aquilo que está para lá dos sentidos consagrados seja tão ou mais importante do que o que estes percebem. Conversa hermética esta. Talvez o seja. O facto é que, e não querendo exaltar o meu "eu" (e o dos outros que entenderão o que escrevo) como algo de extraordinário à face da terra, sou forçada a afirmar que não consigo (nem quereria, mesmo se o conseguisse!) contentar-me com determinadas demonstrações de pequenez de quem parece ter nascido desprovido de sentidos extra. Aqueles que, ao fim e ao cabo, tornam a vida tão mais cheia, questionável e vivível.

Sem comentários: