domingo, 27 de abril de 2008

Notas ao vento


Vou no meio da rua, a dirigir-me para o carro que está estacionado já à minha frente. De repente, por entre sol e uma brisa ligeira oiço não muito longe duas ou três notas musicais terrivelmente agudas e perfeitamente colocadas por uma voz que julgo especial. Olho em volta na ânsia de tentar descobrir quem as emite. Penso para com os meus botões que um talento assim não deveria ser desperdiçado. Quando descubro o autor, percebo que afinal não há desperdício nenhum ligado àquela pessoa. O Nuno Guerreiro também canta na rua e que bem que lhe fica! Entro no carro e abro a janela na esperança de continuar a ouvir mais um pouco. Acho que se calou. Fala agora com a pessoa que o acompanha e já não adoça os meus ouvidos. Momento simples mas reconfortante este.

Sem comentários: